ACTIVIDADES

  • Organizar conferências, simpósios, congressos, exposições, reuniões e toda a classe de actividades tanto científicas como de extensão relacionadas com o estudo e conservação dos peixes continentais e marinhos, favorecendo assim o intercâmbio de conhecimento entre os distintos sectores sociais implicados.

  • Patrocinar publicações (brochuras, cartazes, revistas, publicações multimédia) ou outras actividades de carácter científico e/ou de extensão de modo a contribuir para a difusão do dito conhecimento na sociedade civil.

  • Dirigir-se às Autoridades públicas e Entidades privadas em defesa da conservação dos peixes autóctones continentais e marinhos ibéricos.

  • Participar e assessorar quaisquer grupos de trabalho dos distintos níveis administrativos (e.g., local, provincial, regional, nacional, internacional) que afectem a conservação dos peixes continentais e marinhos.

  • Criar comissões que mantenham as relações necessárias com os organismos da Administração competentes em matérias de meio ambiente, para assegurar o desenvolvimento legislativo relativo à conservação dos peixes autóctones continentais e marinhos ibéricos.

  • Promover e/ou desenvolver actividades de formação académica, científica e técnica dirigidas a Administrações, Universidades, Centros de investigação, ONGs, associações de pescadores e diferentes sectores profissionais (agricultores, engenheiros, etc.) relativas à conservação das espécies de peixes continentais e marinhos autóctones e à gestão das espécies exóticas.

  • Promover actividades de divulgação e sensibilização, preferencialmente com educadores ambientais, visando centros de ensino, administração local ou outros.

  • Impulsionar a criação de voluntariado em vigilância fluvial (a partir de associações locais já existentes, centros educativos e recreativos, etc.) e de restauração dos rios e dos mares (limpeza, etc.).

  • Concorrer a concursos lançados por diferentes Administrações públicas e outras entidades, nacionais ou estrangeiras, para realizar trabalhos científicos ou de conservação.

  • Qualquer outra actividade de acordo com as normas legais que regem estas Associações, e para realização dos fins contidos no artigo anterior, a determinar pela Assembleia Geral ou Junta Directiva, no âmbito dos poderes que lhes foram concedidos pelos presentes estatutos.