Artigos

Andaluzia aprova o Plano de Recuperação e Conservação de Peixes e Invertebrados Aquáticos mídia epicontinental

O Conselho do Governo da Andaluzia aprovou através do Acordo de 13 de Março de 2012, o Plano de Recuperação e Conservação de Peixes e Invertebrados Aquáticos mídia epicontinental. Este plano inclui 8 espécies em perigo de extinção e 7 vulneráveis, todos os afectados por ameaças como a degradação do habitat e, acima de tudo, pela concorrência de animais exóticos. As espécies de peixes ameaçadas de extinção são a fartet (Aphanius iberus), killifish (Aphanius baeticus), esturjão (Acipenser sturio), lampreia mar (lampreia do mar), jarabugo (hispanica Anaecypris) e gizani (Iberocypris palaciosi), enquanto que entre É blenny vulneráveis ​​(Salaria fluviatilis). Para a recuperação de peixes e invertebrados, o plano define uma área coincidente com água da rede pública de canais de rios e reservatórios em Andaluzia, além de outros cem metros de polícia área em cada um dos bancos.

Você pode baixar o plano em PDF.

Prémio BES Biodiversidade: Menção Honrosa para os peixes de água doce de Portugal

Um Guia dos Peixes de Água Doce de Portugal, a proposta de Maria João Collares Pereira, do Centro de Biologia Ambiental da Universidade de Lisboa, recebeu uma Menção Honrosa no Prémio BES Biodiversidade 2012.

Os ecossistemas fluviais são considerados os mais ameaçados em Portugal e os peixes são o grupo de vertebrados mais representativo destes ecossistemas. A edição do 1º GUIA DE CAMPO DOS PEIXES DE ÁGUA DOCE DE PORTUGAL, que compila resultados de mais de três décadas de inventariação de espécies e investigação sobre a sua biologia, vem preencher uma lacuna óbvia nos guias que existem para a biodiversidade de vertebrados portuguesa. Visando contribuir tanto para a conservação, como para a divulgação de informação e conhecimento sobre este grupo ameaçado, o Guia será publicado em suporte digital e em papel, permitindo uma utilização ampla e dinâmica que serve os públicos- alvo destas variadas aplicações: investigadores e técnicos, pescadores e educadores, sem esquecer os naturalistas amadores.

A equipa de Maria João Collares Pereira, investigadora no Centro de Biologia Ambiental e Professora Catedrática da Universidade de Lisboa, possui uma vasta base de dados sobre a fauna piscícola de Portugal. Esta informação sobre a biologia das espécies e as características dos habitats aquáticos será agora tornada acessível a todos. Para Maria João, “Esta informação não é só útil para os biólogos, é útil para uma série de outros grupos de profissionais e de amadores e por isso julgamos ser essencial disponibilizá-la num formato que possam utilizar”. O projeto é desenvolvido em colaboração com o Museu Nacional de História Natural e Ciência e com a Biota, contando ainda com o apoio do ilustrador científico Pedro Salgado.

Esta é a 5ª Edição do Prémio BES Biodiversidade, um prémio anual que tem como objectivo premiar e apoiar projetos e iniciativas inovadoras de investigação, conservação e gestão da diversidade biológica em Portugal. O prémio é atribuído, de forma alternada, a projetos em Biodiversidade e Investigação e a projetos em Biodiversidade e Empresas.

Oficina escadas para peixes em Palencia

O Itagra CT e da Universidad de Valladolid organizaram para 10-13 setembro Oficina V escadas para peixes: Projeto, Construção e Avaliação.
Este curso de 30 horas é destinado a engenheiros, técnicos ou gestores

Seminário Internacional sobre a lampreia do mar em Arbo

A próxima 20-22 abril será realizada em Arbo (Pontevedra, Galiza) um seminário internacional sobre a lampreia do mar. Este seminário terá lugar no Centro de Interpretação do Vinho e da Lampreia Arbo (árabe),

Lampreias na Península Ibérica: Distribuição, estado de conservação e população

Há três espécies de lampreias na Península Ibérica, a lampreia do mar, L. mar lampreia, lampreia rio L. Europeia lampreia rio e riacho lampreia L. planeri Bloch, e todos estão ameaçados.